O Câncer de colo uterino, também conhecido como câncer de útero, é um dos cânceres mais comuns entre as mulheres no Brasil, principalmente nas regiões norte e nordeste. O colo uterino é a região do útero que fica por fora do órgão, no fundo da vagina (veja na imagem abaixo a anatomia da vagina e do útero). O principal fator de risco para o câncer de colo uterino é a infecção pelo vírus HPV.

Anatomia do útero, colo do útero e vagina.

Anatomia do útero, colo do útero e vagina.

O HPV pertence a uma grande família de vírus conhecidos como Human Herpes Virus. A infecção é, em geral, por contato sexual e costuma ser mais perigosa quando acontece na adolescência. Isto ocorre porque durante este período existem modificações no corpo da mulher, incluindo mudanças nos órgãos sexuais, que preparam a mulher para gerar uma criança no futuro. Este período de modificação diminui temporariamente a capacidade do corpo da mulher de se defender da infeção pelo HPV e, caso a infecção ocorra, ela pode causar uma espécie de inflamação prolongada no colo do útero, que no futuro pode levar ao câncer.

Existem vários tipos de vírus HPV, alguns causam apenas verrugas genitais, já outros são capazes de gerar essa inflamação prolongada no colo uterino e o câncer. Esses são os vírus HPV16 e HPV18. A identificação desses vírus foi muito importante para o combate ao câncer de colo uterino. Através dessa pesquisa foi possível criar vacinas capazes de ensinar o sistema imunológico a combatê-los. Hoje dispomos de três vacinas no mercado contra o HPV e se formos competentes em vacinar todas as meninas e meninos antes que entrem em idade sexualmente ativa é provável que possamos praticamente fazer desaparecer essa doença do mundo em 20 ou 30 anos (veja aqui uma matéria sobre a vacinação contra o HPV). Outra importante medida de saúde é que continuemos com campanhas de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis através do uso da camisinha. Assim como AIDS, gonorreia e herpes genital, o câncer de colo uterino também pode ser prevenido com o uso da camisinha.

A camisinha pode prevenir diversas doenças sexualmente transmissíveis como a sífilis, a gonorréia, a AIDS e também pode prevenir o câncer de colo uterino.

A camisinha pode prevenir diversas doenças sexualmente transmissíveis como a sífilis, a gonorréia, a AIDS e também pode prevenir o câncer de colo uterino.

Para este tipo de câncer dispomos de um exame capaz de detectar a doença quando ela ainda está pequena e com grandes chances de cura, conhecido como exame de Papanicolau ou o exame preventivo do colo de útero (veja aqui uma matéria sobre exames de prevenção do câncer). Neste exame o ginecologista faz um raspado do colo do útero, com uma espécie de escova especial para isso, retirando algumas células do colo do útero que já descamariam normalmente. Estas células são então observadas no microscópio para avaliar se estão normais ou se existem alterações que sugiram a presença de um câncer.

Caso o exame seja suspeito o médico vai solicitar uma biópsia do colo do útero para confirmar se realmente o diagnóstico está correto. Assim como nos outros cânceres, Isto é feito pela retirada de um pequeno pedaço da pele do colo do útero. O tratamento vai depender de uma série de fatores que o médico ginecologista e oncologista vão avaliar. Será necessário que se façam alguns exames de imagem para avaliar o tamanho da doença, como exames de tomografia e ultrassonografia da pelve.

Caso a doença esteja pequena é possível fazer um tratamento apenas com cirurgia local com a retirada de todo o tumor e do colo do útero. Quando a doença está um pouco maior, mas apenas no útero e por vezes nos linfonodos em volta dele, o melhor tratamento é a radioterapia. Este tratamento é feito com aplicação de radiação externa, como uma radiografia, porém mais concentrado onde está o tumor, e com uma quantidade de radiação maior, capaz de matar a célula tumoral. Por vezes fazemos também pequenas doses de quimioterapia semanais para aumentar o efeito da radioterapia. A radiação é feita apenas nessa hora e não há chance da mulher ficar “radioativa” e espalhar radiação para outras pessoas, é exatamente como um raio X normal.

Em algumas situações podemos complementar o tratamento com braquiterapia, um outro tipo de aplicação de radioterapia. A diferença deste tipo de tratamento para o tratamento com radioterapia externa é que neste caso a radiação é feita apenas no local onde esta o tumor, através de uma espécie de sonda, que é colocada dentro do colo do útero para a aplicação da radiação, e retirada após alguns minutos. Este é um tratamento que pode ser desconfortável durante sua aplicação, mas não tem efeitos colaterais muito importantes e a mulher pode voltar às suas atividades normais no mesmo dia.

O câncer de colo uterino é uma doença que pode ser prevenida e tratada com bons resultados

O câncer de colo uterino é uma doença que pode ser prevenida e tratada com bons resultados

Caso a doença se encontre espalhada para outros órgãos como o fígado ou pulmões, ainda não existe tratamento capaz de fazer a doença desaparecer por completo. Neste caso o objetivo do tratamento é a redução da doença e seu controle pelo maior tempo possível. Isto é feito com a aplicação de medicamentos na veia, a quimioterapia. Quando aplicamos estes medicamentos no sangue eles conseguem chegar a todas as partes do corpo e, desta maneira, atingir a doença onde quer que ela esteja. Existem vários tipos de quimioterapia disponíveis hoje para o tratamento do câncer de colo uterino que são capazes de controlar a doença por um período longo.

Gostou da matéria? Visite aqui nossa página no Facebook e confira todos os posts. Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog!

Deixe uma resposta