Confira todos os novos 16 medicamentos contra o câncer aprovados em 2015

A pesquisa de novos medicamentos vem cada vez se acelerado mais. Para que todo este avanço seja possível foi necessário muito trabalho e diversos estudos para que se desenvolvesse os medicamentos em laboratório e que se fosse testada sua eficácia no tratamento de pacientes com câncer.

A maior parte dos medicamentos desenvolvidos atualmente são feitos visando explorar fraquezas específicas do câncer, como mutações ou defeitos de multiplicação. Logo o conhecimento detalhado da biologia de cada tipo de câncer tem se tornado cada vez mais importante. Uma estratégia extremamente promissora tem sido a estimulação do sistema imunológico, que estimula as próprias defesas naturais do corpo a atacarem os tumores.

Estes medicamentos não aparecem da noite para o dia, a maior parte deles vem sendo testado em laboratório e em estudos clínicos há pelo menos 5 a 10 anos. Centenas de pesquisadores e médicos estiveram envolvidos e comprometidos no desenvolvimento destes medicamentos. Da mesma maneira milhares de pacientes aceitaram participar dos estudos que testaram estes medicamentos. Todo este avanço que vemos hoje só foi possível pela colaboração destes milhares de pessoas e pelo desenvolvimento sério e comprometido dos medicamentos de acordo com o método científico.

Eu tive a oportunidade de participar de alguns estudos clínicos e é muito gratificante ver o trabalho de anos de esforço se converter um medicamento útil no tratamento do câncer. Em pesquisa costuma-se dizer que ciência não é uma crença e sim um método de investigação que tem por objetivo responder uma pergunta relevante para o tratamento dos pacientes. Em geral essa pergunta é: “esta substância será útil no tratamento de pessoas com câncer?” Muitas vezes a resposta é: Não, de volta ao laboratório para mais pesquisas. Na maioria das vezes as pesquisas mostram que as substâncias não funcionam, estatisticamente apenas 1 em 25 substâncias são úteis.

Vendo estas 16 substâncias aprovadas em um ano dá para ter uma ideia da quantidade de estudos desenvolvidos com novos medicamentos contra o câncer.

Esperamos que esta lista continue a crescer cada vez mais.

novas medicações

 

Confira todos os novos medicamentos:

Alecensa (alectinib); Aprovado para o tratamento do cancer de pulmão não pequenas células que apresente a translocação do ALK (ocorre em torno de 5% dos pacientes com câncer de pulmão)

Cotellic (cobimetinib) ; Aprovado para o tratamento do melanoma que apresente a mutação do BRAF V600E ou V600K (acontece em torno de 50% das pessoas com melanoma).

Darzalex (daratumumab); Aprovado para o tratamento do myeloma múltiplo.

Empliciti (elotuzumab); Aprovado para o tratamento do myeloma múltiplo que já tenha sido tratado com outros tratamentos previamente e que estes tratamentos tenham parado de fazer efeito

Farydak (panobinostat); Aprovado para o tratamento do myeloma múltiplo.

Ibrance (palbociclib); Aprovado para o tratamento de câncer de mama que apresente receptores hormonais positivos e HER negativo.

Imlygic (talimogene laherparepvec) ; Aprovado para o tratamento local do melanoma da pele.

Lenvima (lenvatinib); Aprovado para o tratamento do câncer da tireóide.

Lonsurf (trifluridine and tipiracil); Aprovado para o tratamento do cancer de cólon

Ninlaro (ixazomib); Aprovado para o tratamento do myeloma múltiplo

Odomzo (sonidegib); Aprovado para o tratamento local do carcinoma basocelular da pele.

Onivyde (irinotecan liposome injection); Aprovado para o tratamento do adenocarcinoma do pancreas.

Opdivo (nivolumab); Aprovado para o tratamento do cancer de pulmão, melanoma e cancer de rim.

Portrazza (necitumumab) ; Aprovado para o tratamentodo cancer de pulmão do tipo não pequenas células escamoso.

Tagrisso (osimertinib); Aprovado para o cancer de pulmão não pequenas células do tipo adenocarcinoma que apresente a mutação do EGFR T790M.

Unituxin (dinutuximab); Aprovado para o tratamento do neuroblastoma pediátrico de alto risco.

Varubi (rolapitant); Aprovado como tratamento para prevenção de náuseas e vômitos relacionado com o uso de quimioterapia.

Yondelis (trabectedin); Aprovado para o tratamento do lipossarcoma e leiomiossarcoma.

 

Gostou da matéria? Visite aqui nossa página no Facebook. Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog! Compartilhe essa informação com alguém que possa estar precisando dela!

Deixe uma resposta