No terceiro dia do Congresso da Sociedade Americana de Oncologia Clínica acontecem as sessões plenárias, onde são apresentados os artigos que trazem informações que mudam a prática médica. Hoje foi apresentada a atualização de um importante estudo em mulheres com câncer de mama que demonstra que aumentar o tempo de tratamento aumenta as chances cura, o estudo MA17R.

 

Letrozol por 10 anos aumenta a chance de cura de pacientes com câncer de mama receptor positivo.

Letrozol por 10 anos aumenta a chance de cura de pacientes com câncer de mama receptor positivo.

Neste estudo, apresentado pelo Dr. Paul Goss do Massachussets General Hospital, mulheres com câncer de mama com receptores hormonais positivos foram tratadas com cirurgia seguida por quimioterapia (se necessário) e hormonioterapia com tamoxifeno por 5 anos, o que era o tratamento padrão na época do começo do estudo. Após este período o tratamento era escolhido ao acaso, metade das mulheres eram tratadas com um outro bloqueador hormonal, o Letrozol, por mais 5 anos e metade com placebo (comprimidos que não continham o medicamento). Foi usado placebo porque até aquele momento não se sabia se o tratamento ajudaria ou não. Esta parte do estudo já tinha sido apresentada anteriormente e os resultados para quem tomou os dois medicamentos foi melhor.

Depois deste período havia então uma nova decisão de tratamento no grupo de mulheres que tomou o Letrozol, metade tomou por mais 5 anos (somando 10 anos no total) e a outra metade tomou placebo. Havia ainda neste estudo um grupo de mulheres que não tinha tomado tamoxifen incialmente, apenas o Letrozol por 5 anos, também houve uma divisão destas mulheres entre aquelas que tomaram por mais 5 anos (num total de 10 anos também) e outras que tomaram placebo. Os resultados deste estudo foram apresentados hoje.

No grupo de mulheres que usou o Letrozol por 10 anos houve uma redução do número de recidivas, a doença voltou em menos mulheres. Houve também uma redução no número de aparecimento de novos cânceres na outra mama. Os efeitos colaterais foram um pouco maiores nas mulheres que tomaram o tratamento por mais tempo, principalmente fraturas e osteoporose.

Estes resultados mostram que prolongar o tratamento com Letrozol por 10 anos, em mulheres que tomaram tamoxifeno por 5 anos ou em mulheres que começaram diretamente o tratamento hormonal com Letrozol, reduz o risco de retorno do câncer de mama. Manter o tratamento com Letrozol por 10 anos deve ser discutido com todas as mulheres em tratamento hormonal, pesando o risco e benefício deste tratamento, visto que ele aumenta o risco de fraturas e de osteoporose.

Este foi o principal artigo discutido no hoje, ao final do congresso faço um apanhado com os principais pontos altos de todos os dias.

Gostou da matéria? Visite aqui nossa página no Facebook. Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog! Compartilhe essa informação com alguém que possa estar precisando dela!

Deixe uma resposta