Quimioterapia é o nome que se dá ao conjunto de medicamentos utilizados no tratamento do câncer, que tem como objetivo atacar a célula cancerígena. Existe um grande número destes medicamentos, que são bastante diferentes entre si. Cada um é utilizado para doenças diferentes e têm efeitos colaterais também distintos uns dos outros (veja aqui uma matéria sobre os tipos de medicamentos contra o câncer).

No entanto, existe um mecanismo de ação em comum, todos os medicamentos conhecidos com quimioterapia agem atacando as células de rápido crescimento. Como a célula cancerígena tem a característica de crescer e se multiplicar mais rapidamente que as células normais do corpo, ela é mais afetada pelos medicamentos.

Alguns dos medicamentos utilizados no tratamento do câncer causam queda de cabelos.

Alguns dos medicamentos utilizados no tratamento do câncer causam queda de cabelos.

 

O problema é que existem células normais do corpo que também se reproduzem rápido, e estas células são igualmente afetadas pelos medicamentos. Logo, alguns efeitos colaterais são esperados durante o tratamento com quimioterapia, e um deles é a queda de cabelos. Como os cabelos estão em constante crescimento, a quimioterapia afeta sua raiz, levando a queda dos cabelos. Este é um efeito comum de medicamentos como as antraciclinas (doxorrubicina  e epirrubicina), os alquilantes, como a ciclofosfamida e os inibidores de topoisomerase, como o irinotecan. Outros medicamentos, como os taxanes (docetaxel e paclitaxel), afetam a estrutura do fio de cabelo, tornando-os mais quebradiços e também causando sua queda. A radioterapia na região da cabeça é outro tratamento que causa queda de cabelos. Por vezes, quando o tratamento é mais intenso, ou a pessoa mais sensível, pode haver queda de pelos corporais, e até mesmo cílios e sobrancelhas.

Esta imagem representa o um folículo piloso, de onde nasce o cabelo. O folículo piloso é sensível à quimioterapia. O tratamento interfere com o seu crescimento, causando a queda do cabelo.

Esta imagem representa o um folículo piloso, de onde nasce o cabelo. O folículo piloso é sensível à quimioterapia. O tratamento interfere com o seu crescimento, podendo causar a queda do cabelo.

 

Em geral os cabelos caem de maneira gradual, iniciando a partir do décimo dia após o tratamento com quimioterapia. Em alguns casos a perda pode ser mais lenta, e por vezes nem todo o cabelo cai. Após duas semanas a um mês do fim do tratamento o cabelo volta a crescer normalmente.

Alguns medicamentos podem causar alteração da cor do cabelo, que podem ficar mais claros. Isto ocorre com medicamentos que interferem no estimulo de crescimento das células e dos vasos sanguíneos como o sunitinib e outros medicamentos que inibem os receptores de crescimento derivado do epitélio (EGFR).

É importante notar que nem todos os medicamentos usados no tratamento do câncer fazem cair o cabelo. Os medicamentos biológicos, como anticorpos (rituximab, trastuzumab, cetuximab, etc), não causam este efeito. Os imunoterápicos também não. Alguns tipos de quimioterápicos causam muito pouca, ou nenhuma, queda de cabelo, como a capecitabina, a cisplatina e a oxaliplatina. Lógico que isto depende da dose utilizada e da sensibilidade individual de cada pessoa.

Hoje existem técnicas que podem prevenir ou reduzir a perda de cabelos durante o tratamento, em particular o uso de toucas geladas (leia aqui uma matéria completa sobre este método). O frio causa contração dos vasos sanguíneos do couro cabeludo, com isso menos medicamentos passam pela raiz do cabelo. Assim a perda de cabelos é diminuída. Este método é bastante eficaz quando se usa medicamentos que causam pouca queda de cabelo, porém quando é necessário um tratamento mais intenso, pode não ser tão útil. Alternativas interessantes são o uso de lenços, chapéus e perucas. Existem várias páginas na internet e grupos de apoio para pessoas em tratamento que ensinam a fazer amarrações de lenços e fazem doações de lenços e perucas.

O uso de lenços é uma opção durante o tratamento com quimioterapia

O uso de lenços é uma opção durante o tratamento com quimioterapia.

 

Apesar da perda de cabelo ser temporária, perder os cabelos pode ser uma experiência bastante traumática e complicada. Neste período é fundamental contar com o apoio de amigos e familiares, assim como da equipe médica.

Gostou da matéria? Visite aqui nossa página no Facebook. Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog! Compartilhe essa informação com alguém que possa estar precisando dela!

Deixe uma resposta