O câncer de rim é uma doença relativamente rara, se comparada a outros tipos de câncer como o câncer de mama ou próstata (leia mais aqui sobre o aumento do número de casos de câncer, e aqui).  É uma doença um pouco mais comum em homens que em mulheres, em geral acontecendo na faixa dos 60 anos. Existem diversos fatores identificados como aumentando o risco do câncer de rim, no entanto nenhum deles tem grande impacto no desenvolvimento da doença (como por exemplo, o grande impacto do cigarro no desenvolvimento do câncer de pulmão, veja aqui outro video).  Dentre estes  fatores estão o cigarro, a obesidade e a infecção pelo vírus da hepatite C (veja aqui vídeos sobre os fatores de risco de câncer).

Os rins ficam na parte posterior do abdome e têm como função a filtração do sangue.

A maioria dos cânceres de rim ocorre na região externa do rim, conhecido como córtex renal. Por vezes o tumor cresce sem que a pessoa tenha nenhum sintoma. Quando estes ocorrem, o mais comum é o sangramento urinário, dor no abdome e o pode-se perceber o volume do tumor no exame do abdome. Ao microscópio, a maior parte dos tumores tem característica de apresentar células claras, 80% dos tumores de rim são deste tipo.

Diferentes estágios do crescimento de um câncer renal. O tipo mais comum é o carcinoma de células claras.

O estudo da biologia do tumor identificou que a maioria deles têm a deficiência de um gene específico, conhecido como gene de von Hippel-Lindau (veja o video). Este gene faz com que a célula produza, de maneira errada, vários receptores para os fatores de crescimento derivados do endotélio dos vasos sanguíneos (VEGFR)(leia aqui sobre mutações no câncer de pulmão). Estes receptores funcionam com antenas parabólicas que ficam no exterior da célula. Sua função é perceber estímulos de crescimento que circulam no sangue e, quando se ligam a algum deles, sinalizar para o interior da célula para que esta comece a crescer e se multiplicar.

Um dos problemas neste câncer é que existem inúmeros receptores, muitos mais do que nas células saudáveis, logo, qualquer pequeno estimulo de crescimento faz com que a célula cancerígena se multiplique muito mais que a célula normal (mecanismo semelhante acontece no câncer de mama HER2 positivo, leia aqui, e aqui sobre os medicamentos contra ele).

Sabendo disso, cientistas e médicos criaram medicamentos capazes de bloquear esse sinal. Os dois mais efetivos para bloquear esse sinal no câncer de rim são o pazopanib (nome comercial Votrient) e o sunitinib (nome comercial Sutent). Estes são dois medicamentos em comprimidos que são extremamente eficazes em conter o crescimento do câncer de rim, muitas das vezes reduzindo seu tamanho e deixando a doença em controle por longos períodos (a mesma estratégia foi usada para desenvolver medicamentos contra o câncer de pulmão, leia aqui sobre o crizotinib e aqui sobre o osimertinib, e aqui sobre alectinib).

Pazopanib e sunitinib são medicamentos orais contra o câncer de rim.

Apesar de serem medicamentos em comprimidos eles também têm efeitos colaterais, pois existem estes receptores em células normais, mesmo em menor número. Por vezes pode ocorrer aumento da pressão arterial, enjoo e alteração da coloração dos cabelos. Por isso, sempre é muito importante estar próximo do seu médico durante todo o tratamento contra o câncer, mesmo que este seja feito em comprimidos em casa (leia aqui uma matéria sobre como se preparar para o tratamento).

O conhecimento dos mecanismos da doença, mais uma vez, proporcionou o desenvolvimento de medicamentos altamente eficazes no controle do câncer. Quanto mais a ciência estudar como o câncer ocorre e como ele cresce, mais medicamentos serão desenvolvidos e melhor será o controle desta doença no futuro.

Gostou da matéria? Visite aqui nossa página no Facebook. Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog! Compartilhe essa informação com alguém que possa estar precisando dela!

 

Deixe uma resposta