Os linfonodos funcionam como quarteis do sistema imune, é dentro dos linfonodos que ficam os linfócitos B e T assim como diversas outras células do sistema imunológico. Os linfonodos fazem parte do sistema linfático, por onde circulam boa parte das células de defesa do nosso corpo. Dentro do linfonodo acontece o reconhecimento dos agentes invasores do corpo humano, e é organizada a resposta imunológica contra eles. Dentro da oncologia a avaliação dos linfonodos também é muito importante, porque as células cancerígenas podem usar esse caminho natural das células de defesa para sair do seu local de origem e atingir órgão à distância.

Imagem mostra o aumento de um linfonodo no pescoço (em vermelho), em comparação com linfonodos normais (em verde).

 

A maneira mais fácil de entender o aumento dos gânglios por resposta à infecção é a situação de “íngua” na virilha depois que ocorre um ferimento no pé ou na perna. Quando há ferimento, pode acontecer do corpo ser invadido por bactérias. As bactérias vão ser atacadas pelas células de defesa sentinelas, que ficam vasculhando os tecidos e circulando no sangue (conhecidas como macrófagos, monócitos ou células dendríticas). Ao atacas as bactérias, as células digerem os agentes agressores, posteriormente viajando até o linfonodo mais próximo. No linfonodo as células sentinelas “mostram” os fragmentos das bactérias digeridas para os linfócitos T, que são espécies de generais das células brancas. A partir daí há uma coordenação da resposta imunológica contra esses fragmentos da bactéria. O linfócito T “treina” e estimula a multiplicação de outras células de defesa para atacar as bactérias invasoras. Algumas destas células, como o linfócito B produz anticorpos, espécies de bombas teleguiadas contra os alvos das bactérias; já o linfócito T citotóxico funciona como uma infantaria de células, que saem do linfonodo em busca das bactérias para as quais eles foram treinados para atacar. Todo este processo de treinamento das células imunológicas no linfonodo causa aumento do seu tamanho. O aumento do linfonodo pode ser doloroso e por vezes pode haver calor no local.

Linfonodo observado ao microscópio.

O aumento do linfonodo por causa infecciosa sempre ocorre próximo ao local da infecção. Assim podemos ter aumento dos linfonodos no pescoço em caso de dentes careados, infecções na garganta e ouvido, assim como na pele da cabeça e pescoço. Pode haver aumento do linfonodo da axila em caso de inflamações ou pelo encravados axilares, bem como aumento dos gânglios da virilha, como no exemplo anterior, quando acontecem infecções na perna.

O aumento do linfonodo que ocorre no câncer se dá por outro motivo. O câncer também pode utilizar a circulação linfática, das células de defesa, para se espalhar. Ao crescer, as células cancerígenas vão invadindo os tecidos ao redor delas, e pode ocorrer das células alcançarem algum vaso linfático. Chegando no linfonodo, as células cancerígenas podem voltar a crescer, situação conhecida com metástase linfonodal. O aumento do linfonodo que acontece no câncer, em geral, não tem a ver com a resposta imunológica, mas ao crescimento das células cancerígenas dentro do linfonodo (leia aqui uma matéria sobre o linfonodo sentinela na cirurgia da mama).

O sistema linfático do corpo humano, por onde circulam as células de defesa.

 

Como diferenciar um aumento de linfonodo por causa de câncer e por conta de infecções?  (veja aqui um vídeo sobre isso)

A primeira informação, e mais importante: O aumento do linfonodo por conta de infecção é muito mais comum que por conta de câncer.

A história clínica vai ser sempre muito importante nessa avaliação, um conjunto de linfonodos aumentado e endurecido no pescoço de um homem idoso fumante é muito mais suspeito para câncer que gânglios na mesma localização em um adolescente com febre. É sempre muito importante conversar com o seu médico em caso de aumento dos linfonodos não explicado.

Falam a favor de causa benigna, não relacionada a câncer:

  1. Linfonodos que aumentam durante infecções, são mais provavelmente relacionados à resposta ao agente agressor.
  2. Linfonodos dolorosos ou quentes à palpação, nesse contexto, também são mais provavelmente de origem reacional a infecção.
  3. Estes linfonodos estão em geral próximos ao local onde está ocorrendo à infecção.
  4. Há, em geral, regressão destes linfonodos depois de dias a semanas, quando a infecção se resolve.

Linfonodos em que há maior suspeição para câncer:

  1. Gânglios de consistência endurecida que dão a impressão de estarem grudados nos tecidos mais profundos.
  2. Gânglios aumentados, em particular quando maiores que 2,5cm.
  3. Linfonodos que permanecem por mais de 2 semanas.
  4. Presença de um grande número de linfonodos (atenção a esse item porque causas infecciosas também podem fazer aumento de muitos linfonodos como mononucleose (doença do beijo), infecção pelo HIV, e micobactérias).

É importante lembrar que a melhor medida a se tomar quando ocorre alguma alteração no nosso corpo é sempre conversar com o seu médico!

Gostou da matéria? Visite aqui nossa página no Facebook. Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog! Compartilhe essa informação com alguém que possa estar precisando dela!

Para ver perguntas e respostas sobre o câncer visite o nosso canal do youtube clicando aqui!

Deixe uma resposta